terça-feira, 13 de julho de 2010

Para psiquiatra, frieza de Bruno é comparável a de Alexandre Nardoni

Goleiro não demonstrou preocupação com o desaparecimento de Eliza

O Fantástico mostrou uma investigação especial sobre o caso do goleiro Bruno, um ídolo do futebol preso esta semana acusado de um dos crimes mais bárbaros da história do Brasil.

Segundo depoimentos e investigações da polícia, Bruno mandou a matar a ex-amante, mãe de um bebê de quatro meses, que seria filho do próprio Bruno.

Eliza Samudio foi torturada, morta por asfixia e ainda esquartejada, de acordo com as investigações. E o mais impressionante é a frieza de Bruno depois de cometer essa barbaridade.

"A gente vê uma pessoa altamente centrada. Um indivíduo que não expressa um desequilírio emocional ou ansiedade, ele responde bem à pressão. Vê-se que ele estava muito contido. E com características muito próprias de pensar em si mesmo", diz Antonio Serafim, do Instituto de Psiquiatria Forense do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Nesta quarta-feira, quando se entregou a polícia, uma câmera registrou o que Bruno disse dentro da delegacia: "se eu tinha esperança de disputar a Copa de 2014, acabou".

"Isso mostra que na verdade a preocupação dele é com ele. Não está preocupado com quem morreu ou desapareceu", defende o psiquiatra.

Segundo o psiquiatra, a frieza de Bruno é semelhante à reação de Suzane Von Richtoffen, condenada tramar a morte dos próprios pais. E, mais recentemente, com o caso de Isabela Nardoni, a menina que foi morta pela madrasta e pelo pai, Alexandre Nardoni.

"Lembro muito bem da cena do Alexandre Nardoni, com o policial ao lado dele, como se tivesse caído qualquer coisa, menos a filha dele", ressalta Serafim.

O advogado criminalista e ex-policial Milton Bednarski, um conhecido colecionador de histórias de crimes bárbaros, resume em uma frase o perfil desses assassinos. "Você não diz que eles são criminosos. Eles são dissimulados".

"O maior sinal desse comportamento predatório, destruidor, é o desprezo pelo ser humano", garante Serafim.
(Fonte: G1)

Um comentário:

o esquema macabro disse...

A maldade para dar fim a quem pode atrapalhar uma escalada de sucesso, muitas vezes após ser concluida dá enfase, seria como atingir outra gloria. Aumentando ainda mais o ego desses assassinos. Vejo o que sofro no meu blog. http://sidneyfelix.zip.net.
obrigado