terça-feira, 30 de dezembro de 2008

2009 será o ano do "R"



2009 será o ano do "R"

R evolução
R espeito
R ecomeçar
R einventar
R esponsabilidade
R ezar
R emar
R oupa Nova
R aça
R aciocínio
R amalhete
R azão
R eal
R eanimar
R eceita
R eceptivo
R ecompor
R ecorde
R ecreação
R ecolhimento
R ecrescer
R ecuperar
R edobrar
R eformar
R esgatar
R egar
R odízo
R einar
R eorganizar
R eproduzir
R esistir
R esolver
R estabelecer
R estaurar
R esplender
R eavaliar
R etribuir
R eunir
R etificar
R evigorar
R omance
R umo

R onilço

Eu tenho FÉ!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Competência para o futuro!



Desejo a todos atitude, garra e acima de tudo DIFERENCIAL... se destaquem guerreiros!

Seja um ser competente e esteja preparado, porque na vida é muito melhor está preparado para as oportunidades e elas não surgirem, do que as oportunidades surgirem na sua vida e você não esteja preparado.

Sucesso guerreiros!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Feliz Natal Guerreiros!


Desejo muita alegria e muita paz neste dia hiper especial. Comemore muito, ame e viva intensamente o seu Natal.

Não se esqueça que Natal é nascer... nasça de novo todos os dias, com mais garra, fé e coragem sempre!

Sucesso guerreiros!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Mercado de Trabalho


Encerrando o ano de 2008... quantas conquistas e inumeras realizações.
Não tenho que reclamar do ano que ja se vai, aprendi muito e me dediquei muito tambem... fui guerreiro, agradeço a Deus por tudo!

Em homenagem aos meus alunos do SENAI, vai um texto interessante sobre Mercado de Trabalho.

Comentário de Max Gheringer, surpreenda-se no final-Rádio CBN.
Falando sobre o mercado de trabalho:

'Existem pessoas que realmente sabem dar respostas sábias às grandes questões sobre o mercado de trabalho. Aqui vai um pequeno resumo da entrevista com o famoso Reynold Remhn:
Pergunta: Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?
Resposta: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprendermos. É por isso que sofremos.
Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem souber aproveitar agora os frutos do seu trabalho.

Segunda pergunta: O profissional do futuro será um individualista?
Resposta: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque se cair, não terá ninguém para ajudá-lo a levantar-se.

Terceira pergunta: Que conselho o Sr. dá aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?
Resposta: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados em uma fogueira.

Quarta pergunta: E para os funcionários que tem Chefes centralizadores e perversos?
Reposta: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.

Última pergunta: O que é exatamente sucesso?
Resposta: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça.
Belas e sábias respostas.
Eu só queria me desculpar pelo fato de que não existe nenhum Reynold Remhn. Eu o inventei.

Todas as respostas, embora extremamente atuais, foram retiradas de um livro escrito há 2.300 anos: o ECLESIASTES, Bíblia.
Mas, se eu dissesse isso logo no começo, muita gente, talvez, nem tivesse interesse em continuar lendo. Acredita-se que o ECLESIASTES tenha sido escrito pelo Rei Salomão

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Como uma Onda



Com muita alegria e satisfação fui paraninfo de duas turmas no SENAI, a da ELETROSUL e Assistente Administrativo Matutino. Fiquei muito feliz e emocionado, principalmente por acreditar naqueles jovens, por ter fé na história de vida daqueles meninos que mostraram para mim a importância da amizade e da alegria de ser um educador.

A cada dia me surpreendo com as pessoas, fico mais apaixonado pelo minha vocação e agradeço a Deus pelo tom de ensinar.

Muito obrigado a todos, e deixo a música que marcou este dia tão especial.


"Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa, tudo sempre passará
A vida vem em ondas como o mar
Num indo e vindo infinito
Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo no mundo
Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo
Agora
Há tanta vida lá fora, aqui dentro
Sempre como uma onda no mar...
" video

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Estou em Taboco!



E ai povo guerreiro... estou ministrando um treinamento em Corguinho, ou melhor, em um distrito denominado Taboco. Desenvolvo um trabalho de relações humanas com os professores e administrativos da Escola Municipal Francisco Nogueira Sobrinho.

O povo é hiper receptivo... estarei em Campo Grande somente no sábado!

Para não perder o costume, vai uma metáfora!

Sucesso!

No Curso de Medicina, o professor se dirige ao aluno e pergunta:

-Quantos rins nós temos?
-Quatro! - Responde o aluno.
-Quatro? - Replica o professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os erros dos alunos.

-Traga um feixe de capim, pois temos um asno na sala. - ordena o professor a seu auxiliar.
-E para mim um cafezinho! - Replicou o aluno ao auxiliar do mestre.

O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era, entretanto, o humorista Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), mais conhecido como o 'Barão de Itararé'.

Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre:

-O senhor me perguntou quantos rins 'nós temos'. 'Nós' temos quatro: dois meus e dois seus. 'Nós' é uma expressão usada para o plural.Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.

A vida exige muito mais compreensão do que conhecimento!

Às vezes as pessoas, por terem um pouco a mais de conhecimento ou 'acreditarem'( essa é boa ! ) que o tem, se acham no direito de subestimar os outros...

E haja capim!!!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Felicidade, que sensação é essa?


Dicionário:

Felicidade é qualidade ou estado de feliz; ventura, contentamento.

Feliz é o ser ditoso, afortunado, venturoso. Contente, alegre, satisfeito. Que denota, ou em que há alegria, satisfação, contentamento.

A conquista da felicidade vem no aprendizado diário de viver sabendo aceitar e expressar os desejos e sentimentos, construindo os próprios projetos de vida e empenhando-se para realizá-los.

Um sentimento que expressa de alguma forma, satisfação em ter uma necessidade saciada, um projeto realizado.

Compreender essa sensação, é saber individualizar no universo pessoal, pois o que é motivo de felicidade para uns, pode ser de infelicidade para outros. É um sentimento que pode diferenciar em cada instante tendo significados diferentes.

Depende de cada um, sabendo que só conta consigo mesmo para realizar seus desejos, vontades e projetos. A procura do auto conhecimento ajuda na transformação de desejos em vontade e da vontade em projeto de vida. Aprendendo a ser responsável pelas próprias escolhas, assumindo o sofrimento dos erros e fracassos e o gosto das conquistas e vitórias.

A teoria do psicodrama mostra que desenvolvendo respostas criativas e corajosas no sentido de expressar os seus sentimentos e de realizar a sua vontade própria, ajuda na busca dessa sensação. Construindo-se enquanto indivíduo, realizando e sentindo a felicidade.

Alguns aprenderam a não ter vontade própria. Só sabem realizar a vontade dos outros, projetos pelos outros, não têm suas próprias respostas, mostram-se carentes e inseguros. Só conseguem agir quando tem garantia, segurança e estabilidade do resultado.

Os acomodados, conformam-se com o porto seguro, na falsa certeza de não arriscar, porque a busca do desconhecido, é sempre arriscada e menos estática. E assim, vivem uma felicidade aparente, deixando de buscar e conhecer a sensação da felicidade pela vitória. São derrotados por si mesmo, deixando de assumir novos papeis, conformam-se com a monotonia.

Por não suportar a frustração pela derrota, por um objetivo não alcançado, por um sonho não realizado..., não compete, não tem objetivos, não sonha. Tem ainda aquele que inicia sua meta sendo um faxineiro, mas decide conquistar a presidência. E se consegue alcançar, na sua busca, a vice-presidência, já é motivo de frustração e infelicidade, por não ter chegado ao ponto mais alto.

Os invejosos destroem, menosprezam a vitória do outro, porque assim, deixam de olhar para si, e ver que para eles faltou a coragem e a força do outro.

A maneira de ser de muitos, é pura representação.

É muito bom que as pessoas saibam quem são, reconheçam sua vocação, sua capacidade, e não queiram vestir uma máscara, quando, na verdade, a vontade é de jogar tudo para o alto e tentar outra forma de vida.

Se o indivíduo conseguir identificar sua vocação e habilidade, buscar suas realizações com essa base conhecerá a sensação de ser feliz. Pessoas felizes chamam atenção, são admiradas, tem um brilho diferente.

Mas, isso não significa que enquanto é aplaudido, admirado e chama atenção, é feliz. Pode estar ai, a defesa contra uma auto avaliação. Contentar e agradar aos outros, não é o mesmo que agradar e contentar a si mesmo. A vocação e habilidade são individuais. Assim como a sensação de felicidade também é individual.

A felicidade plena e absoluta não existe. Também não existe receita, manual que possa dar garantia plena de viver 100% feliz.

A busca é por mais momentos e sensação de felicidade.

Descobrindo suas necessidades, suas metas, como e quando alcançá-las, saber reconhecer limite, respeitando e se fazendo respeitar, sabendo diferenciar você do outro, é um começo. E nessa busca, cabe a você criar a sua receita e escrever o seu manual, do que é a SUA sensação de felicidade.

Para Refletir:

"Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade." (Charles Chaplin)

"A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros." (Confúcio)

"Não é a força, mas a constância dos bons sentimentos que conduz os homens à felicidade." (Friedrich Nietzsche)

"Ninguém tem a felicidade garantida. A vida simplesmente dá a cada pessoa tempo e espaço. Depende de você enchê-los de alegria." (S. Brown)

"És precária e veloz, felicidade. Custas a vir, e, quando vens, não te demoras. Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo, e, para te medir, se inventaram as horas." (Cecília Meireles)

"Aprendemos que é possível ser feliz simplesmente pelo fato de estarmos vivendo." (Wilheim Schürmann)

"A felicidade é a única coisa que podemos dar sem possuir." (Voltaire)

"Onde estás, felicidade ?... Em tudo quanto, acabado, me faz dizer: 'Foi bom, mas tão bom que nem senti o tempo passar." (Alfredo Bosi)

"A meta da existência é encontrar felicidade, o que significa encontrar interesse." (Alexandre Sutherland Neill)

"Somos muito mais infelizes na infelicidade do que felizes na felicidade." (Armand Salacrou)

"A infelicidade pura e completa é tão impossível quanto a pura e completa alegria." (Tolstoi)

"Quase sempre a maior ou menor felicidade depende do grau da decisão de ser feliz." (Abraham Lincoln)

"Creio que Deus nos colocou nesta vida para sermos felizes." (Baden Powell)

"A felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos." (Thomas Hardy)

"Felicidade é uma boa saúde e uma má memória." (Ingrid Bergman)

"A felicidade é um bem que se multiplica ao ser dividido." (Marxwell Maltz)

Por Márcia Homem de Mell - Psicóloga e Psicodramatista

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O mistério das Ilhas



Vamos começar falando das duas ilhas que convivem em nós: A da Realidade Permitida e a dos Desejos Proibidos.

A Ilha da Realidade Permitida é composta por regras, normas e leis que proporcionam uma vida sem muitos sobressaltos, mas por vezes insossa e sem conquistas. Métodos e técnicas já consagrados são a tônica da vida nessa ilha.

A Ilha dos Desejos Proibidos é formada pelos nossos sonhos, pelas criações e pelos desejos, característicos dos seres humanos, de mudar, transgredir e inovar. O inédito, proibido, intuição e imaginação são as bases deste lugar.

O mistério das ilhas é construir uma ponte segura e rápida que promova a passagem de uma para outra com mais facilidade.

Nós temos uma ponte construída. Por vezes ela longa e provoca uma canseira daquelas para passar de um lado a outro. Uma ilha fica tão distante da outra que desistimos de atravessar a ponte. Preferimos ficar só na realidade ou no sonho.

A ponte tem que ter apenas alguns passos. Esse é o nosso desafio, que passa a partir de agora ser uma regra para a sua construção: Correr riscos. Um outro componente para quem está na ilha dos Desejos é formular objetivos e metas claras, precisas e datadas.

Outros materiais para a construção você vai obtendo diariamente na nova ponte. No momento que você estiver fazendo isso entenderá que o nome das ilhas estará mudando para: Ilha da Realidade e Ilha dos Desejos. Tudo será permitido e pouco será proibido.

Inovar, arriscar e correr riscos fazem com que você dê o primeiro passo da Ilha da Realidade para a Ilha dos Desejos. Formular objetivos, ter foco nos resultados e colocar metas viáveis e concretas faz com que você saia da Ilha dos Desejos.

Quer tentar? Se você está muito tempo na Ilha da Realidade procure um sonho, um desejo simples e arrisque, aceite o desafio de fazer algo diferente. Se estiver na Ilha dos Desejos, pegue o sonho e transforme em um objetivo com uma data definida. Você irá começar a desvendar o seu Mistério das Ilhas.

Autor:

Armando Pastore Mendes Ribeiro

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Exemplo de Mãe! Emocionante.

Recebi este lindo video que faço questão de compartilhar com vocês. Às vezes achamos que temos os maiores problemas do mundo e esquecemos de olhar para os lados. Tem gente que sofre pacas. Precisamos ter espirito de guerreiros.

Sucesso!

video