sábado, 29 de janeiro de 2011

Lucas Roberto: Plantamos um Ypê em sua homenagem!







Meu amado sobrinho neto nasceu, o Lucas Roberto... em sua homenagem, resolvi plantar uma árvore para representar o nascimento da vida e da esperança.

Um Ypê Amarelo foi a árvore escolhida...

Torço muito para que meu sobrinho seja um homem de cárater, de pulso firme e coração valente... que traduza fé, confiança, homem do bem... empreendedor e que transmita luz.

Lucas Roberto: Meu sobrinho


Nasceu dia 28 de janeiro meu lindo e amado sobrinho neto, filho do Elyas.

Parece que foi ontem que o Elyas nasceu e agora ja é pai.

O tempo passa, o tempo vooa...

O Lucas me transmitiu uma paz e uma energia muito boa, tenho certeza se Deus quiser, que este menino será um grande guerreiro.

Tenho fé!

Bem vindo ao mundo Lucas Roberto.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Estado de Campo Grande


Mais uma vez o assunto invade os noticiários no nosso estado: A confusão que as pessoas fazem entre MS e MT.

Acho inaceitável esta confusão toda, pois as pessoas falam que tudo é a mesma coisa e falam que somos do Mato Grosso. Não existe uma briga e nem disputa com nosso estado vizinho, porém, queremos uma identidade própria...

No inicio o nosso estado seria dividido e o nome sugerido era estado de Campo Grande.

Sou 100% a favor de trocar o nome para Estado de Campo Grande.

Volto a falar disso depois.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Diário de Viagem para Porto Seguro


Guerreiros, foi maravilhosa nossa viagem para Porto Seguro, tudo perfeito. A família toda partiu rumo ao desconhecido, percorremos mais de dois mil quilómetros de carro para chegar ano nosso destino. Mas foi compensador em virtude dos momentos que passamos juntos naquela cidade fantástica que é Porto Seguro.

Porto Seguro transmite uma energia muito boa!

Diversão e alegria não falta por lá. Quase todos participaram desta aventura: Meu pai (Zé), Minha mãe (Eva), meus irmãos e minha irmã (Roberto, Ronildo e Regilene), cunhadas (Lourdes e Schirley), meus sobrinhos amados (Emmily, Thiago, Graziely e Joyce), meus primos (Nice e Renê)e o fantástico e amado João Pedro, uma criança linda que nos encantou pela sua motivação, não se esquecendo da prazerosa companhia da nossa amiga Lidia.

Conhecemos muitas cidades, muitas culturas e gastronomia diferentes... a comida bahiana e forte heim...

Dormimos na ida em Patos de Minas, recebemos uma atenção especial.

Houve uma confusão na chegada em Vitória da Conquista, pois nos perdemos da comitiva, mas nos encontramos logo na frente.

Foi difícil chegar em Porto Seguro e cansativo, principalmente porque estávamos cansados e os motoristas estavam dormindo no volante, dirigindo em uma estrada que parecia uma pista de formula um. Mas chegamos bem graças a Deus.

A casa que ficamos era muito boa, tinha uma piscina que era nossa diversão após a volta do mar. João Pedro adorou!

Quero destacar a beleza de Porto Seguro e dar uma sugestão para quem pensa em conhecer porto:

Visitem Coroa Vermelha, uma aldeia de índios localizada próximo ao local onde foi celebrada a primeira missa no Brasil. Lugar mágico, minha mãe adorou, principalmente pela possibilidade de compra de lembranças e conhecer a cultura local.

Fiquei impressionado com o excelente atendimento e alegria do complexo Axé Moi, um lugar especial para quem procura diversão. Alegria o tempo todo! Na minha opinião, o melhor lugar de Porto Seguro.

Agradeço a Deus pela viagem em família!

Na volta não foi muito cansativo, principalmente porque tivemos duas noites para descansar. Dormimos em Piraporá e Goiânia. Mas antes conhecemos Brasília, fiquei contente em proporcionar aos meus pais conhecer a capital do nosso Brasil. Nos perdemos e quase não conseguirmos sair da cidade. Foi hilariante e engraçado o desespero que passamos.

Quero registrar minha decepção ao atendimento de um hotel em Goiania e sugerir, não se hospede neste hotel, pois os serviços prestados não agradaram nossa família.

Hotel Brasil, Unidade II - Av Castelo Branco, setor campinas... pensa em um hotel ruim... não aceitam cartões e para piorar não tem água para os hóspedes. Cheguei e não tinha agua para beber. O recepcionista falou que tinha agua no bebedor, porém não tinha copo. Reclamei e ele falou que não tinha obrigação de vender água e que na região tinha um monte de bar. Pensa, sai quase meia noite em uma cidade desconhecida para comprar água. O pior foi a afronta do recepcionista, que discutiu comigo e mandou eu me virar ou procurar outro hotel. E olha que ministro cursos na área de atendimento ao cliente e já trabalhei em hotelaria. Conheço o ramo!

Mas, no final tudo ocorreu tranquilo.

Chegamos e fomos recebidos em uma grande festa pelos que não foram viajar conosco.

Muito obrigado meu Deus por esta viagem!

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

To indo para Porto Seguro: Férias com a familia!



Mais uma vez nossa amada familia vai viajar em férias. Desta vez o detino e Porto Seguro na Bahia. Gostaria de ir de avião, mas o pessoal quer ir de carro para conhecer um pouco mais o nosso amado Brasil.

Irei postar aqui o diário da viagem...

Estamos em quatro carros: o meu (Ronilço), Roberto, Ronildo e Renê... o bando dos "Rs".

Orem e rezem por nós!

Sucesso!!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

A ultima grande lição: sugestão para leitura


“... um avô, talvez um professor ou um amigo de família. Uma pessoa mais velha, paciente e sábia, que se interessou por nós e nos compreendeu, quando éramos jovens, inquietos e inseguros. Uma pessoa que nos fez olhar o mundo de uma perspectiva diferente e nos ajudou com seus conselhos e seu afeto a encontrar nossos caminhos”.

Todos nós temos um professor preferido. Pode ser aquele que é mais engraçado e que transmite toda a felicidade do mundo em suas aulas. Em alguns casos é aquele que se comporta de uma forma mais séria e que consegue nos passar mensagens que nos orientam por toda vida. Também acontece de ser o mestre que transforma uma determinada matéria numa viagem tão gostosa que nos transforma em marinheiros dessa jornada. O certo é que determinados professores nos cativam para além dos limites estreitos da sala de aula e nos acompanham por toda a vida com suas lições.

Mitch Albom, jornalista norte-americano, considerado como um dos melhores dentre aqueles que trabalham na área esportiva, teve um professor assim, tão especial. Seu nome era Morrie Schwartz.

Morrie adorava dançar, tinha verdadeira paixão pelo que fazia profissionalmente, irradiava amor pela vida em suas aulas, gostava genuinamente de seus alunos e demonstrava isso sem qualquer receio. Conheço muitos professores que vivem uma relação tão intensa com a vida e com suas profissões que conseguem, do mesmo modo, cativar as pessoas com as quais convivem, fazendo com que elas também percebam toda a riqueza que há em viver, amar, estudar, conhecer, escrever, viajar, dançar...

“... há algumas normas aplicáveis a amor e casamento: se não respeitarmos a outra pessoa, vamos ter muitos problemas. Se não soubermos ceder aqui e ali, vamos ter muitos problemas. Se não conseguirmos falar abertamente sobre o que está acontecendo entre os dois, vamos ter muitos problemas. E se não tivermos um conjunto de valores em comum com a outra pessoa, vamos ter muitos problemas. Os valores devem ser semelhantes.”

São pessoas que não desanimam nem mesmo diante das maiores dificuldades e que, além disso, conseguem sorrir até quando, pelas tantas surpresas da vida, não puderam atingir os objetivos que pretendiam. A maturidade, a experiência de vida, as conquistas e as derrotas, os relacionamentos, as amizades e os amores, tudo o que permeia a vida humana vira lição, se transforma em novas aulas.

Essa matéria-prima tão especial legada a todos nós pela vida é devidamente aproveitada por esses mestres. Eles se apropriam delas e as transformam em sábias palavras. Dividem tudo o que conseguem adquirir ao longo de seus encontros com seus alunos, amigos e familiares. Carregam consigo essa característica humana tão essencial que é a benevolência, a qual adicionam a solidariedade e o altruísmo.

Apesar de tantas qualidades, não se enxergam como melhores em relação aos demais. Sabem de suas limitações e conseguem manter a humildade.

Mitch Albom já havia percebido em Morrie Schwartz todas essas qualidades quando fora seu aluno, na universidade. Lembrava-se, apesar de passados muitos anos, de alguns importantes ensinamentos de seu velho mestre. Consumido pelo cotidiano e pelos inúmeros compromissos de sua agenda de jornalista esportivo conceituado não tinha, porém, tempo suficiente para cumprir a promessa de visitar seu professor preferido.

Por um desses acasos celestiais que tantas vezes redirecionam nossas vidas, viu na televisão uma reportagem que mostrava o sempre disposto e animado Morrie deitado numa cama, adoecido, as portas da morte. Apesar das dores e limitações as quais estava submetido, Morrie guardava toda a sua lucidez e continuava a sorrir. Seu sorriso foi como uma verdadeira luz para que Mitch conseguisse criar forças e ir visitá-lo. A proximidade da morte também convenceu o jornalista da necessidade desse reencontro...

“Tome qualquer emoção: amor por uma mulher, sofrimento por um ente querido, ou isso por que estou passando, medo e dor causados por uma doença mortal. Se você bloquear suas emoções, se não se permitir ir a fundo nelas, nunca conseguirá se desapegar, estará muito ocupado em ter medo. Terá medo da dor, medo do sofrimento. Terá medo da vulnerabilidade que o amor traz com ele.”

O retorno à casa do velho professor propiciou a Mitch a oportunidade de novas lições. Não se tratava mais de um curso, nos tradicionais padrões universitários, o que Morrie havia guardado para suas novas “aulas” ultrapassava os limites dos livros e enveredava por campos muito mais amplos em que a vida era o maior de todos os temas.

Durante seguidas semanas, sempre as terças-feiras (dia em que, no tempo de universidade, Mitch tinha aulas com Morrie; o que também explica o título do livro em inglês “Tuesdays with Morrie”), reuniram-se pupilo e mestre para novas “aulas”. Nessas novas “aulas”, toda a profundidade para tratar temas como emoções, envelhecimento, remorsos, família, amor ou perdão (entre outros).

Desse notável reencontro, surgiu a idéia de transformar os diálogos em um relato que pudesse atingir outras pessoas, novos alunos. A dimensão da obra e o impacto das palavras de Morrie, transformadas no livro “A Última Grande Lição” tiveram enorme repercussão, ultrapassaram as fronteiras norte-americanas, chegaram além-mar, foram traduzidas para várias línguas, fizeram surgir peças teatrais baseadas no diálogo entre mestre e aluno e se tornaram um filme dos mais emocionantes (protagonizado pelo grande ator Jack Lemmon, que acabou sendo premiado com o “Oscar” da televisão norte-americana por sua interpretação como Morrie Schwartz; o filme ainda não está disponível em vídeo e DVD no Brasil).

“Deixe o amor vir. Pensamos que não merecemos amor; pensamos que, se nos abrirmos a ele, nos enfraquecemos.
Mas um sábio chamado Levine disse a palavra certa: ‘O amor é o único ato racional’”.

Para todos que lidamos com educação é livro de cabeceira. Fundamental pelas mensagens e reflexões, especialmente pelo grande amor a vida demonstrado por Morrie em sua “Última Grande Lição”.

Obs.: Não se esqueçam de agradecer a essas pessoas tão especiais quando tiverem oportunidade. Procurem visitá-los, busquem novos contatos, tenham novas conversas. Seus grandes mestres agradecerão a consideração e o reconhecimento.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A autoconfiança do guerreiro



Gostei deste texto que encontrei na internet, não sei quem escreveu, mas merece uma leitura e reflexão.

A autoconfiança do guerreiro não é a mesma que a do homem comum. Este busca a certeza aos olhos do espectador e chama a isso autoconfiança. O guerreiro busca a impecabilidade a seus próprios olhos e chama a isso humildade. O homem comum está agarrado a seus semelhantes, enquanto o guerreiro só se agarra a si mesmo. Talvez você esteja perseguindo uma quimera. Busca a autoconfiança do homem comum, enquanto devia estar atrás da humildade do guerreiro. A diferença, entre os dois é notável. A confiança em si significa saber algo com certeza; a humildade significa ser impecável em suas ações e sentimentos.

Não importa o que se revela e o que se guarda para si. Tudo o que fazemos, tudo o que somos, reside em nosso poder pessoal. Se temos o suficiente, uma palavra que nos for pronunciada pode ser suficiente para mudar o rumo de nossas vidas. Mas, se não tivermos suficiente poder pessoal, o fato de sabedoria mais magnífico nos poderá ser revelado sem que tal revelação faça a menor diferença.

Cada guerreiro tem seu modo próprio de sonhar. Cada modo é diferente. A única coisa que todos temos em comum é que fazemos truques para nos obrigar a abandonar a busca. O antídoto é insistir, apesar de todos os obstáculos e desapontamentos.

Se quisermos ter êxito em alguma coisa, o sucesso deve chegar devagar, com muito esforço, mas sem tensões nem obsessão.

Um guerreiro aceita seu destino, seja qual for, e o aceita na mais total humildade. Aceita com humildade aquilo que ele é, não como fonte de pesar, mas como um desafio vivo. É preciso tempo para cada um de nós compreender este ponto e vivê-lo plenamente. Eu, por exemplo, detestava a simples menção à palavra humildade. Sou índio, e nós índios sempre fomos humildes e nunca fizemos outra coisa senão curvar a cabeça. Pensei que a humildade não fazia parte da vida de um guerreiro. Mas estava enganado. Hoje sei que a humildade do guerreiro não é a humildade de um mendigo. O guerreiro não curva a cabeça para ninguém, mas ao mesmo tempo não permite que ninguém curve a cabeça para ele. O mendigo, ao contrário, prostra-se de joelhos por qualquer coisa e lambe as botas de quem quer que ele considera superior, mas, ao mesmo tempo exige que alguém que ele considera inferior lhe lamba as botas. Foi por isto que eu lhe disse que eu não sabia como se sentiam os mestres. Só conheço a humildade do guerreiro e isto nunca permitirá que eu seja mestre de alguém. Você gosta da humildade de um mendigo. Curva a cabeça diante da razão.

A liberdade é dispendiosa, mas o preço não é impossível.

Nós todos passamos pelas mesmas funções. O único jeito de vencê-las é persistir em agir como guerreiro. O resto vem sozinho e por si. O resto é o conhecimento e o poder. Os homens de conhecimento possuem ambos. No entanto, nenhum deles poderia dizer como os adquirira, a não ser que continuou a agir como guerreiro e, num dado momento, tudo se modificou.

Um guerreiro deve ficar calmo e controlado e nunca deve perder o pulso.

Eis o defeito das palavras. Sempre nos obrigam a sentir-nos esclarecidos, mas, quando nos viramos para enfrentar o mundo, elas sempre nos falham e terminamos enfrentando o mundo como sempre o fizemos, sem esclarecimento. Por este motivo, o feiticeiro procura agir em vez de falar e para isso ele consegue uma nova descrição do mundo: uma nova descrição em que falar não é assim tão importante, e em que novos atos têm novos reflexos.

Um guerreiro começa com a certeza de que seu espírito está desequilibrado; aí, vivendo num controle e consciência completos, mas sem pressa nem compulsão, ele faz o máximo para conseguir esse equilíbrio.

Não fique nervoso. Nada há neste mundo que um guerreiro não possa enfrentar. Entenda: um guerreiro já se considera morto, de modo que nada tem a perder. O pior já lhe aconteceu, e portanto ele está lúcido e calmo. A julgá-lo por seus atos ou suas palavras, nunca se suspeitaria de que ele tenha presenciado tudo.

Sempre que o diálogo interno pára o mundo entra em colapso, e facetas extraordinárias de nossos seres emergem, como se tivessem sido mantidas numa guarda severa por nossas palavras. Você é o que é porque diz a si mesmo que é assim.

Felicidade!


"A felicidade existe. É claro que existe!

A pomos sempre onde queremos, mas nunca a pomos onde nós estamos".


Guerreiros, muitas vezes esperamos algo acontecer para sermos felizes, e esquecemos de viver feliz com as pequenas coisas da vida!

Sucesso!

sábado, 1 de janeiro de 2011

Dilma Presidenta: contra o preconceito!



Fiquei emocionado hoje. Pensa!

Em um mundo espantosamente preconceituoso, onde encontramos pessoas que se dizem donos da verdade, da moral e da inteligência, agora, uma mulher se torna presidente do Brasil.

Nossa, vejo assim, o homem mais importante do mundo é NEGRO, quem nos representa hoje é uma MULHER.

Meu Deus, por que existem pessoas ridiculas, preconceituosas, que analisam as pessoas pela cor, religião, orientação sexual, etc, etc... caracas, somos todos iguais...

Não votei na Dilma, mas torço muito por ela... quero que ela seja uma grande PRESIDENTA do Brasil... Torço pelo nosso povo, nossa gente!

To feliz, to faceiro...

Dilmaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Tá Escrito em 2011: Guerreirooooooooo

Guerreiros, tenho amor por letras de músicas que me fazem ver o mundo diferente. Tocando em frente, com Renato Teixeira me ajudou muito... hj dia primeiro, estava procurando um lugar aberto para comprar mistura para o almoço e tocou TÁ ESCRITO, com o grupo Revelação... pensei: pronto, esta vai ser minha música em 2011.

Tá Escrito
Revelação

Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar sua hora

As vezes a felicidade demora a chegar
Aí é que a gente não pode deixar de sonhar
Guerreiro não foge da luta, não pode correr
Ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer

É dia de sol mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender, se colhe tem que plantar
É Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar

Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé
Manda essa tristeza embora
Basta acreditar que um novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar
video