sexta-feira, 23 de abril de 2010

Felicidades Guerreiro!


Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!


Poema do amigo aprendiz
Quero ser o teu amigo. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...
Fernando Pessoa

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Fiquei triste!



Hoje me deu vontade danada de "largar mão" de dar aula para alunos da aprendizagem. Alguns alunos não compreendem que não podemos colocar a culpa nos outros pelos erros comeditos. Alguns emburram! Me chateia muito, pois agente prepara as aulas, fica motivado e alguns alunos não entendem. Individualiza os problemas.

Mas fazer o que, nesta hora, levanto e sacudo a poeira e dou a volta por cima, principalmente valorizo alunos que realmente tem diferencial.

Estes alunos birretos um dia irão perceber da grandeza do diferencial, so espero que neste dia ainda possam transformar suas vidas. Que não seja tarde!

Um guerreiro pode até estar ferido, morto jamais!!!



Use a porta do lado

Em entrevista dada pelo médico Drauzio Varella, disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada. E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente...

É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem (ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping). Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resto do seu dia.

Eu acho que esta história de dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior.

Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes.

Será que nada dá errado pra eles? Dá aos montes. Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença.

O que não falta neste mundo é gente que se acha o último biscoito do pacote. Que "audácia" contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: fincam o pé, compram briga e não deixam barato. Alguém aí falou em complexo de perseguição? Justamente. O mundo versus eles.

Eu entro muito pela outra porta, e às vezes saio por ela também. É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho, mas é um problema solúvel. E como esse, a maioria dos nossos problemões podem ser resolvidos assim, rapidinho. Basta um telefonema, um e-mail, um pedido de desculpas, um deixar barato. Eu ando deixando de graça ...

Pra ser sincero vinte e quatro horas tem sido pouco pra tudo o que eu tenho que fazer, então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.

Se eu procurar, vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem; pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia. Então eu uso a "porta do lado" e vou tratar do que é importante de fato.

Eis uma chave do mistério, a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, a razão por que parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado.

Quando os desacertos da vida ameaçarem o seu bom humor, não estrague seu dia... Use a porta do lado e mantenha a sua harmonia.

Lembre-se, o humor é contagiante - para o bem e para o mal - portanto, sorria, e contagie todos ao seu redor com a sua alegria.

A "Porta do lado" pode ser uma boa entrada ou uma boa saída ...

( Drauzio Varella )

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Lady Laura Morre

video

Vi com muita tristeza a morte da mãe do Roberto Carlos, apesar de ele nem imaginar minha existência, fiquei triste com a perda de uma mulher que com certeza tinha um amor imenso pelo filho, e com certeza era amada de forma incrivel.

Roberto Carlos, garra, fé e coragem sempre!

De luto pela morte da mãe, Roberto Carlos completa 69 anos

19 de abril de 2010


[Roberto Carlos chora diante do caixão da mãe ]
Roberto Carlos chora diante do caixão da mãe (Foto: Agência News)

De luto pela morte da mãe, o cantor Roberto Carlos completa 69 anos nesta segunda-feira (19/04/2010). Ele passou a noite no hospital Copa D'Or, zona sul do Rio de Janeiro, no velório da mãe, Laura Braga, conhecida como Lady Laura. Ela morreu no sábado vítima de uma infecção pulmonar.
VEJA TAMBÉM

MAIS INFORMAÇÕES

O enterro de Lady Laura ocorre nesta segunda no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Roberto Carlos estava em Nova York quando soube da morte da mãe. Um dos filhos do cantor, Roberto Carlos Braga, chegou ao hospital pouco antes do pai. "Ela é insubstituível. A principal lembrança que tenho dela é o amor", disse.

Roberto Carlos foi recebido por uma multidão de fãs ao chegar ao cemitério. Ele foi aplaudido por mais de 300 pessoas que começaram a cantar a música Jesus Cristo.

O cantor Erasmo Carlos chega ao enterro de Lady Laura (Ag. News)

O empresário do cantor, Dodi Sirena, disse que Roberto Carlos está muito abalado emocionalmente e não conseguiu dormir desde que recebeu a notícia. "Ele está bastante triste e lamenta não ter conseguido chegar a tempo para dar um último beijo", disse.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Quantas chances!


Quase Sem Querer
Legião Urbana
Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranqüilo
E tão contente...

Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira

Mas não sou mais
Tão criança, oh! oh!
A ponto de saber tudo...

Já não me preocupo
Se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê

E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu vejo
O mesmo que você...

Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos
Sei que às vezes uso
Palavras repetidas
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto...

Já não me preocupo
Se eu não sei por que
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê

E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu quero
O mesmo que você...

Oh! Oh! Oh! Oh!...

A pedofilia no Brasil



Texto excelente que uma aluna da quinta série escreveu sobre a pedofilia:

A Pedofilia no Brasil

Por Emily Jaquicely Fabiano Silva - 5º B


Eu me chamo Emily, quero chamar a atenção de vocês sobre o assunto da pedofilia.

Hoje em dia, as pessoas parecem não se importar com assuntos que passam quase todos os dias em manchetes e jornais, abusos de crianças inocentes várias vezes abusadas por pais ou padrastos ou por pessoas que não são punidas, que aliciam crianças pobres e humildes, que viram escravas dos aliciadores. E estas crianças por muitas vezes se viciam em drogas e não dão conta de pagar tudo o que devem para se verem livres da prostituição e voltarem para a casa.


Pessoas que fazem esse tipo de coisa com as crianças do nosso Brasil, são pessoas sem coração, deveriam ser tratadas como monstros. O governo deveria ter uma punição como também para aquelas que abusam e favorecem os aliciadores. Porque se em nosso país não tivessem pessoas que contribuíssem com esse tipo de coisa, não teria pedofilia em nosso país! São pessoas de altas categorias que abusam de crianças que por varias vezes nem estão com o seu corpo formado. Por exemplo, um padrasto abusou de um bebê de quatro anos de idade, cadê a justiça? Cadê a justiça do nosso Brasil? Se todos nós nos juntássemos contra a pedofilia, o mundo não estaria assim!
Se hoje está assim, imaginem o amanhã?!
(Foto de criança chorando encontrada no endereço http://imgs.sapo.pt/gfx/445530.gif acessada em 13 de julho de 2009)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

A Executiva bem sucedida!


Excelente texto da revista EXAME

A EXECUTIVA BEM SUCEDIDA
Foi tudo muito rápido. A executiva bem-sucedida sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou.. Deu um gemido e apagou.. Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal.

Ainda meio zonza, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas.Todas vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava acontecendo, a executiva bem-sucedida abordou um dos passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar urgente para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque meu convênio médico é classe A, e isto aqui está me parecendo mais um pronto-socorro. Onde é que nós estamos?
- No céu.
- No céu?...
- É.
- Tipo assim... o céu, CÉU...! Aquele com querubins voando e coisas do gênero?
- Certamente. Aqui todos vivemos em estado de gozo permanente.
Apesar das óbvias evidências nenhuma poluição, todo mundo sorrindo, ninguém usando telefone celular, a executiva bem-sucedida custou um pouco a admitir que havia mesmo apitado na curva.

Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana ela iria receber o bônus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de presidente do conselho de administração da empresa.

E foi aí que o interlocutor sugeriu:
- Talvez seja melhor você conversar com Pedro, o síndico.
- É? E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?
- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.
- Assim? (...)
- Pois não?

A executiva bem-sucedida quase desaba da nuvem. À sua frente, imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o próprio Pedro.

Mas, a executiva havia feito um curso intensivo de approach para situações inesperadas e reagiu rapidinho:

- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...
- Executiva... Que palavra estranha. De que século você veio?
- Do 21. O distinto vai me dizer que não conhece o termo 'executiva'?
- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.

Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.

- Sabe, meu caro Pedro. Se você me permite, eu gostaria de lhe fazer uma proposta. Basta olhar para esse povo todo aí, só batendo papo e andando a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para dar um upgrade na produtividade sistêmica.

- É mesmo?

- Pode acreditar, porque tenho PHD em reengenharia. Por exemplo, não vejo ninguém usando crachá. Como é que a gente sabe quem é quem aqui, e quem faz o quê?

- Ah, não sabemos.
- Entendeu o meu ponto? Sem controle, há dispersão. E dispersão gera desmotivação. Com o tempo isto aqui vai acabar virando uma anarquia. Mas nós dois podemos consertar tudo isso rapidinho implementando um simples programa de targets individuais e avaliação de performance.

- Que interessante...

- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de perfis psicológicos não consigam resolver.

- !!!...???...!!!...???...!!!

- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do investimento do Grande Acionista... Ele existe, certo?

- Sobre todas as coisas.

- Ótimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de produtos alternativos de alto valor agregado.. O mercado telestérico, por exemplo, me parece extremamente atrativo.

- Incrível!

- É óbvio que, para conseguir tudo isso, nós dois teremos que nomear um board de altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e mordomias de praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho certeza de que você vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela frente vai resultar em um Turnaround radical..

- Impressionante!

- Isso significa que podemos partir para a implementação?

- Não. Significa que você terá um futuro brilhante... se for trabalhar com o nosso concorrente. Porque você acaba de descrever, exatamente, como funciona o Inferno...

(Revista Exame)

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Mudança de Comportamento


E aqui estou eu sozinho com o tempo.
O tempo que você me pediu.
Isso é orgulho do passado,
um presente prá você

Uma delicada lembrança
Branca neve que nunca senti
Solidão me deixe forte
Talvez resolva meus problemas

Eu morreria por você
Na guerra ou na paz
Eu morreria por você
Sem saber como sou capaz

E aqui estou eu sozinho com o tempo.
O tempo que você me pediu.
Isso é orgulho do passado,
um presente prá você

Uma delicada lembrança
Branca neve que nunca senti
Solidão me deixe forte
Talvez resolva meus problemas

Eu morreria por você
Na guerra ou na paz
Eu morreria por você
Sem saber como sou capaz

Mudanças no meu comportamento
Distância louca de mim mesmo
Vontade de sentir o passado
Presente prá você

Eu morreria por você...
Eu morreria por você...
Eu morreria por você...
Eu morreria por você
Sem saber como sou capaz

Quando você muda, a relação muda!




Rosana Braga me deu de presente este texto, que faço questão de compartilhar com voces amados guerreiros.
Sucesso!

Quando você se relaciona com alguém, sob qualquer título – amigo, parceiro, companheiro, namorado, cônjuge, etc. – esta relação pode ser comparada a uma combinação entre dois elementos químicos.

A interação entre o que você é e o que o outro é resulta num terceiro elemento, diferente do que cada um é individualmente e diferente também da simples soma de duas individualidades, já que somos intrinsecamente mutáveis.

Não é difícil perceber essa alquimia se observarmos que nos comportamos de modo específico e diferenciado dependendo de com quem estamos. Com algumas pessoas somos mais calmos, com outras, mais frágeis; com algumas, mais agitados, com outras, mais espontâneos; e por aí vai...

Aí está o encanto dos encontros: tudo pode ser transformado! Basta que um dos dois mude, e o resultado será novo, será outro, diferente do obtido até então...

Mas, infelizmente, muitas vezes nos esquecemos desta opção (ou escolhemos nos manter na cômoda posição de ignorá-la). Preferimos acreditar que o outro é sempre o mesmo, não muda nunca e que, sozinhos, por mais que tentemos, não podemos transformar a relação.

Nesta crença estão contidos dois enganos extremamente limitantes: o primeiro é que o outro não é o mesmo de sempre e pode mudar a qualquer momento, acredite você ou não. O mais provável é que você não queira se arriscar a olhar para esta possibilidade, até porque tais mudanças não necessariamente serão do seu agrado; mas que ele pode mudar, não resta dúvida.

O segundo engano refere-se ao fato de que você, sozinho, é capaz de mudar a relação, sim. Talvez não queira. Talvez não esteja disposto. Entretanto, é fato: quando você muda, a relação muda! Claro que isso também não é garantia de que o outro gostará da mudança, mas que será diferente, será!

Porque se considerarmos que mudanças são escolhas pessoais e intransferíveis, ou seja, que somente estamos habilitados a promover mudanças a partir de nossas próprias atitudes mudadas (e, portanto, ninguém pode mudar pelo outro), há aqui uma valiosa conclusão: se você deseja que sua relação seja diferente do que é atualmente, decida-se você por mudar seu comportamento e pare de investir toda sua energia na expectativa de que o outro mude. Caso contrário, correrá o eminente risco de se frustrar várias e várias vezes.

Óbvio que é extremamente delicado investir em mudanças quando o outro é parte essencial do que virá a ser. Requer dedicação, paciência e persistência. Requer o exercício constante e intensivo de suas melhores qualidades. Requer, sobretudo, a decisão contundente e firme de que você deseja dizer e expressar, ser e agir, propor e sentir um amor ‘manualmente’ transformado...

E é aí que está o xis da questão: sentar-se no sofá da sala e pensar em como têm sido chatos os seus dias ao lado de alguém com quem você imaginou viver uma linda história de amor é realmente bem mais fácil... Porém, não lhe rende alegria, satisfação e a sensação de ter feito absolutamente tudo o que podia para que os próximos dias sejam diferentes...

Ter na ponta da língua um sem número de reclamações não lhe permite vivenciar uma competência superior, ousada, própria de quem redige sua história no imperativo, de modo consciente, e não no condicional, somente reagindo ao ritmo que a vida ou as pessoas lhe impõem.

No final das contas, sua capacidade de dar novo sentido para esta relação (e para sua vida) é uma oportunidade de apostar naquilo que você deseja para si, de um novo jeito. E se conseguir enxergar a sutileza contida nesta possibilidade, certamente entenderá que a felicidade não está apenas nos resultados que obtém, mas especialmente no que você faz, e como faz, para alcançá-los.

A Zona de Conforto Destrói


Excelente texto do grande mestre Gilclér Regina, realmente ele fala com sabedoria e muito conhecimento sobre a zona de conforto. Leia e reflita sobre isso ok...

Sucesso!


Na vida empresarial, produtos abençoados, de extraordinária qualidade e grande reconhecimento, tendem a levar seus gestores ao descuido, comodismo, zonas de conforto, preguiça, arrogância...

E neste cenário, mais dia menos dia, chegam os “adversários”, tanto aqueles inexpressivos que só estragam o mercado, e outros com marcas de qualidade e bons serviços, ou seja, os novos donos do pedaço, isto é, do mercado.

Uma empresa não quebra hoje, ela quebra cinco anos antes. É a falência motivacional. São cinco anos de desmotivação, de arrogância ou de comodismo.

Quantas marcas e empresas que você lembra que eram ícones de mercado em serviços, produtos, e hoje já não existem mais ou se apequenaram.

Empresas que reinaram sozinhas, soberanas por muito tempo e foram cedendo terreno aos concorrentes por inércia, inapetência e soberba.

Você entra numa loja de café. O café é ótimo, o relacionamento é decepcionante. Cuidam de forma exemplar da porta da frente, e negligenciam a parte dos fundos.

Agir assim é abrir uma tremenda brecha para os concorrentes. Decepciona pela desproporção entre um caloroso bom-dia e um boa-noite cansado e com raiva.

Afinal, o segredo do negócio não é só fazer o cliente entrar, é fazer o cliente retornar. E ninguém retorna se não se sentir importante. Você pode ter até o melhor produto do mundo, mas seguramente haverá um concorrente.

Você pode continuar fazendo o que sempre fez e marchar de cabeça erguida rumo à guilhotina ou ao precipício. Mas você pode mudar também, reconsiderar a sua posição, sair da soberba, da inércia, do conforto e do comodismo.

As empresas hoje buscam menos colaboradores e melhores colaboradores. É a revolução pela tecnologia. Quem está ficando é especialista e ao mesmo tempo multifuncional. Até as máquinas hoje são multifuncionais.

A ordem é decolar! O cemitério está cheio de insubstituíveis. Até a lendária revista americana LIFE, isto é, vida, partiu.

Num estudo da London Business School com 1800 presidentes, vice-presidentes e diretores de grandes empresas brasileiras, 30% é o total de tempo desperdiçado, jogado literalmente no lixo. Sabe quanto custa isso? Centenas de milhões seguramente.

Prevalece ainda a burocracia, o jogo político dentro da empresa, processos mal planejados, centralização de poder, falta de clareza nas decisões e na distribuição de tarefas.

As empresas não devem desguarnecer o território onde construíram fama e fortuna. Tem muita gente matando a Galinha dos Ovos de Ouro.

Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Dicas mercado de trabalho!



Grande video sobre o ambiente de trabalho!
Confiram..

To sem voz....


Hoje estou sem poder falar... amanheci sem voz... acredito que foi o tempo que me deixou assim... mudou a temperatura repentinamente e fiquei sem voz!

Ruim D+++

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Ronilço Guerreiro




E ai.. gostaram do meu novo icone...

Palmeiras!



Ainda palmeiras de coraçãooooooooooooooooooo!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Fantastica festa dos 70 anos "Zé Robero"









Tudo perfeito a festa do niver do meu pai. Uma festa feita de "tiquinho" onde todos colaboraram, seja por dinheiro, produtos ou apoio diversos. Foi um espetáculo ver a familia toda reunida. Alegria, emoções, felicidade... tudo isso estava presente... veja alguns momentos: