terça-feira, 4 de novembro de 2008

Motivação não é Agitação!



Guerreiros,

Recebi uma mensagem muito interessante que me credencia a continuar com meu estilo de palestra. Penso que uma palestra motivacional não deve ser somente um show com músicas e dinâmicas de grupo, onde as pessoas riem, se abraçam e até saem alegres, mas da mesma forma que entrou. Busco promover a tomada de consciência, despertar o sonho adormecido e mostrar que somos responsáveis pelo nosso "destino" como ator principal das nossas escolhas. Um grande palestrante brasileiro Claudio Diogo, afirma que não podemos falar somente de motivação, mas sim modificação. Modificar a maneira de pensar e ter atitude diferente.


Sucesso!


Leia o artigo que recebi do palestrante Paulo Araujo:

Motivação não é Agitação!

Não sei se é coincidência, mas ultimamente tenho literalmente “trombado” com mensagens, fóruns de discussão e reportagens que questionam as palestras motivacionais.

Com a experiência de quem vive tendo como fonte de renda tais palestras posso logo afirmar: palestras motivacionais trazem resultados e quando bem-feitas contribuem não para motivar, mas no máximo inspirar e como sempre brinco “quem sabe dar aquele empurrãozinho” para o início de uma mudança em sua vida, carreira ou organização.

Veja alguns pontos que motivam e que se bem usados transformam a sua vida:

Motivação tem a ver com significado pessoal. Gostar do seu trabalho e do ambiente em que ganha o seu pão é requisito primordial para acordar motivado! Não dá para passar as melhores horas da sua vida fazendo o que não gosta. Mudar essa situação é sua responsabilidade e já vou deixando claro que só você pode mudar a sua vida. Isso nenhum palestrante, o bispo ou o seu chefe irá fazer por você.

Motivação tem a ver com conhecer de forma clara quais são os seus pontos fortes. São poucos o que pagam do próprio bolso um profissional para que mapeie suas competências, que pedem um feedback sincero para colegas e chefes, e ouvem com o coração e mente aberta sem se preocupar em se defender das críticas que recebe. A maioria acha isso bobagem! Papo de filósofo! A pergunta que lhe faço é essa: - Meu amigo, você é bom em quê?

Motivação externa é tão importante quanto a automotivação. É importante descobrir como se automotivar, colocar sonhos no papel e transformar em ações. Valorizar aquilo que você é e o que têm para aí sim buscar algo mais. Eu só posso provocar uma transformação a partir do momento que conheço minha realidade atual. Mas também é importante ter um mentor, colegas de trabalho, amigos, familiares, cônjuges que nos apóiem, reconheçam nossas qualidades, se sentir amado e aceito em seu meio. É justo você buscar tais condições e também proporcionar um bom ambiente para as pessoas que convivem com você.

Motivação tem a ver com planejamento e assumir a responsabilidade pela sua vida. Planejar e definir metas são muito diferentes de ter um desejo. Desejo todo mundo têm! Desejo mudar de carro ou de emprego. Mas ali planejadinho no papel, descrevendo como fazer isso, o quanto vai custar, com prazo e responsáveis definidos, aí é outra história. Dizem que planejar é besteira, pois tudo dá errado mesmo! Planejamento existe para dar um norte as nossas ações e não para engessar a sua vida, carreira ou empresa.

Aqui relatei o que tento fazer dia após dia para vencer no mercado e me sentir uma pessoa realizada. Não é receita e muito menos dicas infundadas das quais você nunca ouviu falar. É só um artigo escrito por alguém que acredita piamente que motivação tem tudo a ver com a forma com que você conduz a sua vida e que a maior responsabilidade por colocá-la em prática é toda sua.

Paulo Araujo - palestrante e escritor.

Um comentário:

enjoy-rs disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.